Teletrabalho: modalidade pioneira no TJAM supera marca de 250% de produtividade

Todos os teletrabalhadores que estão atuando de forma remota no Judiciário amazonense superaram as metas estabelecidas.


Tele Esp5.jpegNo período de janeiro a julho deste ano, a produtividade dos servidores do "Programa Teletrabalho" do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) chegou a 263%, acima da meta inicial estabelecida no regulamento da modalidade, ou seja, superior ao trabalho desempenhado pelos servidores presenciais. A informação foi divulgada pela "Comissão de Acompanhamento do Teletrabalho" do TJAM, coordenada pela desembargadora Nélia Caminha Jorge, e representa um grande avanço no desempenho dessa atividade pioneira, na qual os servidores, previamente treinados, têm a possibilidade de realizar de forma remota (não presencial) as respectivas atividades laborais.

Tele EspA modalidade de teletrabalho passou a ser adotada pelo Tribunal como projeto-piloto, em agosto de 2017, evoluindo para a habilitação de servidores para atuar nas atividades judiciárias em sistema de home office (em que as tarefas laborais são desenvolvidas a partir de sua residência), tendo o compromisso – e sob pena de desligamento do programa – de alcançar uma produtividade superior àquela dos servidores que trabalham presencialmente. O teletrabalhadores também precisam apresentar relatórios de atividades a seus superiores de forma rotineira; manter comunicação direta com seus chefes imediatos e dispor de estrutura adequada para desenvolver suas tarefas diárias no ambiente residencial.

Para entender melhor como funciona a atividade pioneira no Judiciário amazonense, visitamos dois teletrabalhadores durante suas atividades laborais, realizadas em casa. O primeiro foi o assistente judiciário Cláudio Eloy. Ele afirma que sua vida mudou depois que começou a fazer parte do programa. Antes disso, chegava a perder até três horas por dia apenas com o deslocamento para o trabalho, no Fórum Ministro Henoch Reis. Sem os movimentos das pernas - desde 2012, após tomar uma vacina, apresentou uma reação severa e ficou paraplégico - ele se locomove com a ajuda de uma cadeira de rodas.

Tele Esp4.jpegHoje, Eloy desempenha suas atividades em casa e chegou a superar, em um único mês, 312% a meta de produtividade estabelecida para sua equipe. “Lógico que é preciso muito foco e determinação. Principalmente, porque em casa você tem várias situações que podem te tirar do trabalho. Mas a mudança também foi assimilada por minha família. Hoje, todos sabem que naquele horário do dia eu estou trabalhando e entendem essa rotina. Assim, consigo desempenhar todas as tarefas, com a vantagem de que não preciso perder mais tempo tendo que me deslocar de casa para o trabalho”, disse Eloy.

Tele Esp6.jpegO teletrabalhador Maurizio Dutra é lotado na Comarca de Fonte Boa (distante 678 quilômetros de Manaus) e, após ingressar no "Programa de Teletrabalho", voltou para a capital, onde iniciou outra graduação, desta vez em Direito. Ele afirma que, agora, pode acompanhar melhor a vida dos três filhos e da esposa. O resultado da mudança na qualidade de vida veio em forma de resultado no trabalho: sua produtividade é 829% acima do estabelecido, mais de nove vezes a meta originalmente estipulada.

“Quando começamos com essa atividade, ficamos com medo de não atingir os resultados. Mas, depois, com o acompanhamento da equipe do TJAM, fomos desmistificando nossos medos e conseguimos desempenhar nosso trabalho de uma forma mais eficaz. Aqui, no escritório que montamos dentro de casa, não há distração. Após levar meus filhos na escola, fico dedicado a desenvolver minhas tarefas na prestação jurisdicional”, afirmou Maurizio.

Tendência mundial

O home office, que signifca em língua portuguesa “trabalho em casa”, uma tendência mundial adotada inicialmente por empresas privadas começa a dar frutos também no universo das instituições públicas, como no Tribunal de Justiça do Amazonas. Por conta disso, o programa está sendo ampliado. Até o fim de 2019, o número de teletrabalhadores deve chegar a 100.

As atividades do programa renderam ao TJAM uma recente premiação nacional, concedida pelo Conselho Nacional de Justiça, em Brasília: o prêmio "Práticas em Gestão de Pessoas do Poder Judiciário". “Este reconhecimento mostra que estamos no caminho certo. Claro que podem aparecer obstáculos nesse trabalho diário, mas estamos prontos para resolvê-los e seguir em frente. Os funcionários, à medida que tomam conhecimento dessa ferramenta, conhecem suas vantagens, assim como os gestores que devem cada vez mais saber cobrar dos teletrabalhadores aquilo que toda a sociedade almeja, que é mais efetividade na prestação jurisdicional”, frisou a desembargadora Nélia Caminha Jorge, presidente da comissão que coordena e faz o monitoramento dos resultados do programa.

O "Programa de Teletrabalho" também tem como perspectiva a redução de gastos públicos com eletricidade; papel e outros insumos arcados pelo serviço público; a geração de benefícios ao meio ambiente, em virtude da redução do fluxo de veículos e, consequentemente, diminuição da emissão de poluentes; a redução do fluxo de veículos nos grandes centros; além do favorecimento da qualidade de vida dos teletrabalhadores.

 

 

Fábio Melo
Fotos: Daniel D'Araújo e Raphael Alves
Revisão de texto: Joyce Tino

DIVISÃO DE DIVULGAÇÃO E IMPRENSA
Telefones | (92) 2129-6771 / 99485-8526
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

2022 - Mapa do Site
Save
Cookies user prefences
We use cookies to ensure you to get the best experience on our website. If you decline the use of cookies, this website may not function as expected.
Accept all
Decline all
Analytics
Tools used to analyze the data to measure the effectiveness of a website and to understand how it works.
Google Analytics
Accept
Decline