Magistrados do TJAM participam do Encontro Norte e Centro-Oeste de Ouvidorias do Poder Judiciário

Realizado em Goiás, o evento discutiu o papel das ouvidorias como instrumento para a melhoria da prestação jurisdicional.


Ouvidores2O desembargador Elci Simões de Oliveira e o juiz Luís Cláudio Chaves participaram nesta quinta-feira (8), em Goiânia (GO), do encontro promovido pelo Colégio Nacional de Ouvidores Judiciais (Cojud), que reuniu representantes das Ouvidorias do Poder Judiciário das regiões Norte e Centro-Oeste do País. Ouvidor-geral do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), o desembargador Elci Simões destacou a importância do evento como uma grande oportunidade para a troca de experiências; a disseminação de boas práticas e o alinhamento de ações no trabalho das ouvidorias judiciais.

Ouvidores"Entre os vários temas de que tratamos nesta reunião de trabalho, discutimos a necessidade de comprometimento permanente dos magistrados e servidores, no sentido de promover um atendimento de excelência aos jurisdicionados, buscando a sintonia que se espera do Judiciário do século 21", afirmou o ouvidor-geral do TJAM.

Realizado no salão nobre da presidência do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO), o encontro foi aberto com palestra da desembargadora Maria Iracema Martins do Vale, conselheira e ouvidora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que discorreu sobre o tema: “A Ouvidoria do CNJ e as Ouvidorias Judiciais”. Em seguida, o presidente do Cojud, desembargador Altair de Lemos Júnior, do TJRS, falou sobre: “Aspectos Atuais das Ouvidorias Judiciais”.

"Relação da Ouvidoria do CNJ com as demais ouvidorias de Justiça: objetivos, conceitos, prazos e metas"; "As Ouvidorias como Instrumento de Conciliação" e "Funcionamento das Ouvidorias das Regiões Norte e Centro-Oeste", também foram temas integrantes da pauta do evento.

Em sua palestra, a desembargadora Maria Iracema Martins do Vale afirmou ser importante que as ouvidorias se apresentem de forma empática, “tendo em conta que, por trás de cada relato, por vezes identificado apenas por um número de processo, há uma história de vida, um conflito pessoal que atravessa os anos e que representa sofrimento a uma série de pessoas".

O juiz Luís Cláudio Chaves, titular da Vara de Execução de Medidas Socioeducativas do TJAM e integrante da equipe de juízes colaboradores da Ouvidoria da Corte Estadual amazonense, também ressaltou o trabalho desenvolvido pelas ouvidorias e a contribuição que esses órgãos podem dar para a melhoria da prestação jurisdicional. “As ouvidorias contribuem para ampliar o acesso da população aos serviços do Judiciário. São instrumento de cidadania, pois se propõem a ouvir os jurisdicionados, acolher e encaminhar suas demandas e, da mesma forma, auxiliar os magistrados e suas respectivas equipes a superar dificuldades que, eventualmente, possam estar prejudicando a eficiência de seu trabalho. Neste encontro, pudemos discutir vários aspectos dessa atuação, conhecer dados e experiências que vêm contribuindo para a melhoria desse trabalho”, disse o magistrado.

 

 

Terezinha Torres
Com informações e fotos da Ascom do TJGO

DIVISÃO DE DIVULGAÇÃO E IMPRENSA
Telefones | (92) 2129-6771 / 99485-8526
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.