Subcomitê de Saúde do TJAM prepara campanha de conscientização para público interno sobre a Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa

A intenção é alertar servidores (as) e magistrados (as) sobre a importância do diagnóstico precoce e dos cuidados com as Doenças Inflamatórias Intestinais (DIIs).


 

RoxoO Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), por meio do Subcomitê de Saúde do TJAM, vai aderir à "Semana Estadual de Conscientização sobre as Doenças Inflamatórias Intestinais (DIIs)", que no Amazonas acontece anualmente na terceira semana do mês de maio, conforme prevê a Lei Estadual n.º 5.330, de 26 de novembro de 2020. Neste ano, a campanha, conhecida como "Maio Roxo", será realizada no período de 17 a 21 de maio.

Para esse período, o setor de nutrição da Divisão de Serviços Integrados de Saúde (DSIS) do TJAM organizou uma agenda de atendimento - para magistrados (as) e servidores (as) -, com o objetivo de reforçar as orientações sobre as DIIs. As consultas serão realizadas pela nutricionista do TJAM, Tereza Beatriz, por meio de atendimento remoto e mediante agendamento prévio, que deverá ser feito por meio do WhatsApp, no número (92) 99142-4606.

Maio Roxo

O principal objetivo das ações do "Maio Roxo" é a conscientização sobre as DIIs e sobre a importância do diagnóstico precoce dessas condições. Segundo a Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP), mais de 5 milhões de pessoas são acometidas pelas DIIs no mundo. No Brasil, as doenças inflamatórias intestinais atingem 13,25 em cada 100 mil habitantes, sendo 53,72% de Doença de Crohn e 46,16% de Retocolite Ulcerativa.

As DIIs ainda não têm causa definida, mas estudos indicam que podem estar associadas a fatores como consumo exagerado de comidas industrializadas e com alto índice de gordura, além de questões hereditárias e imunológicas. As doenças mais comuns são Doença de Crohn e a Retocolite Ulcerativa, que apresentam sintomas semelhantes, e, por essa razão, pedem um diagnóstico cuidadoso, a fim de se indicar o tratamento correto para cada caso.

É importante saber que Doenças Inflamatórias Intestinais não são contagiosas. O diagnóstico é dado após exame clínico em concordância com exames laboratoriais e radiográficos e análise de evidências endoscópicas e histopatológicas. Uma avaliação minuciosa é importante, pois os sintomas das principais DIIs são semelhantes e também se parecem com os da Síndrome do Intestino Irritável.

Por ser um problema crônico, quem sofre de DII precisará conviver com ela a vida inteira, por isso, o tratamento deverá ser contínuo, assim como o acompanhamento da doença, com exames e consultas médicas regulares. A boa notícia é que, com o tratamento adequado, a rotina de um portador de DII pode ser normal.

Sintomas

Entre os sintomas mais comuns das Doenças Inflamatórias Intestinais estão a diarreia (com pus, muco ou sangue); dor abdominal; cólicas; gases; fraqueza; perda de apetite e febre. Segundo a SBCP, as DIIs acometem principalmente pessoas entre 15 e 30 anos (primeiro pico) e entre 50 e 70 anos (segundo pico). Quanto mais cedo forem diagnosticadas melhores são as chances de um tratamento adequado e com menos impacto nas atividades diárias.

Tratamento

O tratamento das DIIs pode ser medicamentoso ou cirúrgico. Em alguns pacientes pode ser necessária a confecção de estomas (bolsas coletoras de fezes).

Doença de Crohn (DC)

Segundo informações da SBCP, o surgimento da Doença de Crohn está ligado a uma disfunção do sistema imunológico, porém, não se trata de uma doença autoimune, e a fatores bacterianos e genéticos. A doença de Crohn é uma inflamação crônica que pode ocorrer em qualquer parte do tubo digestivo, sendo mais comum na parte inferior do intestino delgado e intestino grosso. O diagnóstico é feito com exame de colonoscopia com biópsia. Outros exames como tomografia computadorizada, ressonância magnética e exames laboratoriais podem ajudar na identificação. Tabagismo e o histórico familiar estão entre os fatores de risco.

Retocolite Ulcerativa

Ao contrário da DC, a Retocolite Ulcerativa afeta apenas o intestino grosso – reto e cólon –, provocando lesões contínuas nas áreas em que se manifesta. Em pessoas mais jovens, a RCU pode ocasionar problemas mais graves. Sua intensidade pode ser leve, moderada ou grave, dependendo do grau da infecção e o quanto do órgão é afetado. As causas da Retocolite Ulcerativa ainda não são totalmente conhecidas, mas trata-se de um distúrbio imunológico que pode ser agravado e/ou desencadeado por fatores externos. Os principais sintomas são sangramento e diarreia com cólicas, sangue, muco e, eventualmente, com pus se houver infecção. O diagnóstico também é realizado por colonoscopia com biópsia.

Câncer colorretal

Estudos indicam que há maior risco de câncer colorreta em pacientes com doenças inflamatórias intestinais quando comparados à população em geral. Por isso, recomenda-se que pacientes diagnosticados sejam façam exames de colonoscopia periodicamente para diagnosticar e tratar lesões potencialmente cancerosas.

Ao identificar algum desses sintomas, é importante procurar um médico. Quanto mais cedo for realizado o diagnóstico, os resultados do tratamento serão mais eficientes.

 

 

Jéssica Rebello

Com informações da SBCP

Imagem: reprodução da internet

DIVISÃO DE DIVULGAÇÃO E IMPRENSA
Telefones | (92) 2129-6771
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

banner TJAM

WhatsApp Image 2020 06 10 at 11.27.56