TJAM | GRUPO DE MONITORAMENTO E FISCALIZAÇÃO DO SISTEMA CARCERÁRIO E SOCIOEDUCATIVO

Escolas Superiores do Sistema de Justiça se reúnem para debater ações pedagógicas de enfrentamento à tortura

A reunião foi convocada pelo GMF/TJAM, por meio do Grupo de Trabalho Interinstitucional de Enfrentamento à Tortura, do Tribunal de Justiça do Amazonas.


 Reunião GMF GT Tortura

Reunião GMF GT Tortura2Com o objetivo de articular parcerias para o desenvolvimento de projetos pedagógicos voltados para a prevenção e o combate à tortura no Amazonas, o Poder Judiciário do Estado, por meio do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF) – via Grupo Interinstitucional de Enfrentamento à Tortura do Tribunal de Justiça do Amazonas – com o apoio técnico do Programa Fazendo Justiça (CNJ/PNUD) realizou, na segunda-feira (05/06), em Manaus, uma reunião com representantes das Escolas Superiores do Sistema de Justiça.

Participaram da reunião o membro do GMF/TJAM e coordenador do GTI de Enfrentamento à Tortura, o juiz Edson Rosas Neto; o membro do GMF/TJAM, coordenador do GTI de Enfrentamento à Tortura e juiz corregedor-auxiliar, Rafael Cró; o coordenador de cursos da Escola Superior da Magistratura do Amazonas (Esmam), juiz Saulo Góes; a coordenadora estadual do Programa Fazendo Justiça (CNJ/PNUD), Luanna Marley; o representante do Centro de Estudo e Aperfeiçoamento Funcional do Ministério Público (CEAF), promotor de Justiça João Gaspar; a representante da Escola Superior da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (Esudpam), Débora Massulo; o representante da Escola Superior de Advocacia (ESA/OAB), Carlos Alberto; o representante da Escola Superior da Administração Penitenciária (Esap/Seap), Douglas Almeida e o representante da Secretaria de Estado de Segurança Pública, Major Wagner Alves.

Na reunião foram discutidos os principais desafios quanto ao enfrentamento à tortura, como a necessidade de aprimorar mecanismos e qualificar a atuação do sistema de justiça criminal, especialmente no interior do Estado e conforme o GMF, a iniciativa de projetar ações pedagógicas visa a contribuir com a implementação dos parâmetros e legislações internacionais e nacionais de direitos humanos, trabalhando a aplicação do Protocolo de Istambul (Manual sobre Investigação Eficaz e Documentação da Tortura e Outros Tratamentos ou Penas Cruéis, Desumanos ou Degradantes), bem como Resoluções do Conselho Nacional de Justiça para o tema, dentre elas a Resolução 213/2015 (sobre audiências e custódia) e a Resolução CNJ 414/2021 (sobre quesitos periciais).

A iniciativa surgiu a partir da deliberação do Grupo de Trabalho Interinstitucional de Enfrentamento à Tortura, espaço que tem como membros atores do Sistema de Justiça Criminal, organizações da sociedade civil e Universidades, coordenado pelo juiz Edson Rosas Neto.

Conforme o magistrado Edson Rosas Neto a reunião foi proveitosa e favorecerá ações práticas. “A ideia é unir esforços entre as Escolas; trabalharmos ações pedagógicas considerando os mesmos parâmetros conceituais e metodológicos junto ao nosso público, aprimorando a atuação de policiais, médicos e odontolegistas, trabalhadores do sistema prisional e do socioeducativo, além de promotores/as, advogados/as, defensores/as, magistrados/as, servidores públicas, como também sensibilizar a sociedade quanto ao tema de direitos humanos e enfrentamento à tortura”.

GMF/TJAM

Os Grupos de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMFs) consistem em estruturas dos Tribunais de Justiça e dos Tribunais Regionais Federais responsáveis, entre outras atribuições, pela monitoração e fiscalização do sistema carcerário e do sistema de execução de medidas socioeducativas em âmbito local, tendo papel fundamental na execução de novas políticas judiciárias destinadas à transformação desses dois sistemas.

O GMF/TJAM tem como supervisora a desembargadora Luiza Cristina Nascimento da Costa Marques.

 

 

#PraTodosVerem: Na imagem principal que ilustra a matéria, sete pessoas, dentre as quais, magistrados representantes do Poder Judiciário Estadual; do Programa Fazendo Justiça (CNJ/PNUD) e representantes das Escolas Superiores do sistema de Justiça posam para o registro fotográfico realizado em uma sala de aula onde ocorreu a reunião. A sala de reunião tem paredes na cor branca, uma lousa branca, assim como um projetor de imagens.

 

Afonso Júnior

Fotos: Acervo GMF/TJAM

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

E-mailEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

(92) 2129-6771 / 993160660

logo gmf 003

Fórum Ministro Henoch Reis - 4° Andar
Av. Paraiba, s/n - São Francisco, Manaus - AM, 69079-265
Fone: (92) 2129-6722 Email: gmf@tjam.jus.br

 

Os Grupos de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário – GMFs consistem em estruturas dos Tribunais de Justiça e dos Tribunais Regionais Federais responsáveis, dentre outras atribuições, pela monitoração e fiscalização do sistema carcerário e do sistema de execução de medidas socioeducativas em âmbito local.

Junho 2024
D S
1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30
Save
Cookies user preferences
We use cookies to ensure you to get the best experience on our website. If you decline the use of cookies, this website may not function as expected.
Accept all
Decline all
Publicidade
Youtube
Accept
Decline
Analítico
Google Analytics
Accept
Decline