Rodas de conversas e exposição de fotos marcam evento da Semana Nacional da Adoção

Atividade realizada pela Coordenadoria da Infância e Juventude (Coij) e o Juizado da Infância e Juventude Cível (JIJC) foi realizada no auditório do Fórum Desembargadora Euza Maria Naice de Vasconcellos, trazendo à tona temas como “A Cultura da Adoção no Amazonas” e a “Legitimação da Homoparentalidade e Adoção”, além do lançamento de uma exposição de fotos em totens com o tema “Adoção: Um encontro transformador de vidas”.


 semanaadocao1

Na manhã desta quinta-feira (23) a Coordenadoria da Infância e Juventude (Coij) e o Juizado da Infância e Juventude Cível (JIJC) do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) realizaram evento alusivo à “Semana Nacional da Adoção”, integrado por duas rodas de conversa com os temas “A Cultura da Adoção no Amazonas” e “Legitimação da Homoparentalidade e Adoção” e o lançamento de uma exposição de fotos em totens com o tema “Adoção: Um encontro transformador de vidas”.

As rodas de conversa temáticas foram “A Cultura da Adoção no Amazonas”, com palestra da presidente do Grupo de Apoio a Pais Adotivos no Amazonas (GAPAM), Iracy Rocha; e “Legitimação da Homoparentalidade e Adoção”, da advogada e escritora Elaine Bezerra de Queiroz Benayon.

A programação também foi marcada pela exposição de painéis com fotos de famílias adotantes e identificadas pelo sobrenome, acompanhados de frases de destaque, como a da família Pinho que adotou grupo de irmãos: “Adoção é uma linguagem de amor que preenche a alma deixando ela cheia de cores, sabores, emoções e vivências especiais”.

Durante a abertura, no auditório do Fórum Desembargadora Euza Maria Naice de Vasconcellos, a juíza Scarlet Braga Barbosa Viana, titular da 2.ª Vara de Manacapuru, respondendo cumulativamente pelo Juizado da Infância e da Juventude Cível de Manaus, representou a desembargadora Joana Meirelles, que coordena a COIJ. Em seu discurso, a juíza Scarlet chamou a atenção para a necessidade de mudança em conceitos e costumes da sociedade para acompanharem a evolução da Lei no que diz respeito a adoção.

“A adoção por muito tempo foi estigmatizada como uma parentalidade de segunda categoria em decorrência das legislações anteriores, o tratamento constitucional que era dado aos filhos adotivos e o que observamos é que houve um avanço dessa legislação, a partir da Constituição de 1988 e da edição do Estatuto da Criança e do Adolescente, que revogou o antigo Código de Menores. A legislação se renova, mas culturalmente precisa haver essa solidificação desses avanços legislativos”, afirmou.

A magistrada destacou que o evento protagoniza a ação de divulgar a adoção como uma via de parentalidade tão importante e significativa quanto à parentalidade biológica sem estigmas e diferenças e que assegura às crianças e adolescentes que por várias razões de violação de direitos estão institucionalizadas, tenham os direitos constitucionais que são assegurados dentro do núcleo familiar.

A promotora de Justiça Romina Carmen Brito Carvalho, coordenadora da Infância e Juventude do Ministério Público do Amazonas (MPAM) afirmou que o momento é para sensibilização da sociedade ao direito de crianças e adolescentes estarem em convivência familiar. “Muitas crianças e adolescentes, por motivos diversos, estão em uma fase de sua vida que não possuem direito ao convívio familiar e precisamos assegurar esse direito. Não obstante toda a excelência na prática de juízes, promotores de justiça, defensores e de toda a rede de atuação na proteção da infância e juventude, ainda temos um déficit de crianças e adolescentes que não são adotados. Muitas pessoas possuem um perfil para adoção e muitos abrigados em instituições vão ficando de lado. Essa semana visa, sobretudo, conscientização com relação às famílias para que a gente coloque essas crianças e adolescentes como centro das atenções. Que as famílias percebam que o importante é levar esse direito à convivência familiar e um lar amoroso para as crianças”, disse a coordenadora do MPAM.

O evento reuniu instituições e entidades ligadas a Adoção como a defensora pública substituta da 2ª DPE, Sarah de Souza Lobo; a advogada e escritora Elaine Bezerra de Queiroz Benayon; a presidente do Grupo de Apoio a Pais Adotivos no Amazonas (GAPAM), Iracy Rocha; a representante da Rede Acolher (que integra os abrigos), Magaly Araújo; a secretária de Direitos Humanos da Sejusc, Gabriela Campezatto; a coordenadora de Serviço Social da Faculdade Nilton Lins, profa. Gerlane Freitas Andreocci, além de representantes e grupos de alunos de instituições de ensino e servidores do judiciário.

#PraTodosVerem: Imagem principal da matéria traz o registro fotográfico da solenidade de abertura da “Semana Nacional da Adoção”, realizado pela Coordenadoria da Infância e Juventude (Coij) e o Juizado da Infância e Juventude Cível (JIJC) do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) 

Texto: Sandra Bezerra

Fotos: Marcus Phillipe

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL / TJAM

E-mailEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

(92) 99316-0660

tjam brasao grande

Poder Judiciário
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
DO ESTADO DO AMAZONAS

coij logo

COORDENADORIA DA
INFÂNCIA E JUVENTUDE

  • COIJ – Fórum Cível Desembargadora Euza Maria Naice de Vasconcellos.
  • Rua Valério Botelho de Andrade, s/nº. Térreo A. Bairro São Francisco. Manaus-AM. CEP: 69079-260
  • E-mail: coordenadoria.infancia@tjam.jus.br
  • Telefone: (92) 3303-5267 - WhatsApp
  • Instagram: coordenadoria.infancia.am

Calendário da Infância e Juventude

Julho 2024
D S
1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31
Save
Cookies user preferences
We use cookies to ensure you to get the best experience on our website. If you decline the use of cookies, this website may not function as expected.
Accept all
Decline all
Publicidade
Youtube
Accept
Decline
Analítico
Google Analytics
Accept
Decline