TJAM | ESPAÇO MARIA DA PENHA

TJAM atinge meta inédita no julgamento de processos de feminicídio no interior do Amazonas

A Meta 8 do CNJ tem o objetivo de fortalecer o enfrentamento ao feminicídio e à violência doméstica e familiar contra as mulheres.


Desembargadora Carla Reis

Nesta semana, a plataforma de monitoramento de metas do Tribunal de Justica do Amazonas (TJAM) revelou um dado inédito em relação ao cumprimento da Meta 8 do Conselho Nacional de Justica (CNJ), no interior do Estado. Pela primeira vez, a Justiça Estadual atingiu e ultrapassou a marca de 100% no julgamento de processos de feminicídio nos municípios. A informação foi confirmada pelo Comitê da Mulher em Situação de Risco, do TJAM , que tem como coordenadora estadual a desembargadora Carla Maria dos Santos Reis e como subcoordenadora a juíza auxiliar da presidência da Corte, Elza Vitória de Mello. 

“Os dados são animadores. Se pegarmos a estatística de maio deste ano, perceberemos que naquela ocasião o percentual era de 36% em relação ao julgamento de casos de feminicídio. Hoje, depois de uma esforço concentrado do Tribunal de Justiça do Amazonas, por determinação da desembargadora Carla Reis e do desembargador presidente, Yedo Simões, conseguimos chegar à marca de 100%. E temos certeza de que até 31 de dezembro deste ano os números serão ainda mais representativos, mostrando que estamos no caminho certo", frisou a juíza Elza. 

A magistrada frisou, ainda, que a Meta 8 é dividida em duas etapas: a primeira, é relacionada ao julgamento de casos de feminicídio; e a segunda referente ao julgamento de processos de violência doméstica e familiar contra a mulher. “Vale destacar que, em relação aos julgamentos de casos de violência doméstica e familiar contra a mulher, chegamos a 80% da Meta no interior, mas, por conta de várias ações e programadas, como a 2.ª etapa da campanha 'Justiça pela Paz em Casa', temos convicção de que também atingiremos a Meta com folga, antes do fim de 2019,” explicou a juíza. 

Na capital do Amazonas, o desempenho do TJAM no cumprimento da Meta 8 do CNJ está dentro do estimado pela equipe do comitê, tento atingido os 100% no julgamento dos processos de violência doméstica e familiar contra a mulher, faltando apenas 13 julgamentos de processos de feminicídio para alcançar os 100% almejados, o que pode acontecer nas próximas semanas, e será reforçado com a realização do mutirão do "Mês do Júri", em novembro deste ano. 

Entenda a Meta 8 

Segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que instituiu as Metas como forma de monitorar a produtividade dos tribunais em todo País, a Meta 8 consiste em priorizar, pela Justiça Estadual, o julgamento dos processos relacionados ao feminicídio e à violência doméstica e familiar contra as mulheres.

Para isso, o Judiciário Estadual deve identificar e julgar, até 31/12/2019, 50% dos casos pendentes de julgamento relacionados ao feminicídio, distribuídos até 31/12/2018, e 50% dos casos pendentes de julgamento relacionados à violência doméstica e familiar contra a mulher, distribuídos até 31/12/2018.

Fábio Melo
Fotos: Arquivo TJAM e Acervo das comarcas
Revisão de texto: Joyce Tino

DIVISÃO DE DIVULGAÇÃO E IMPRENSA
Telefones | (92) 2129-6771 / 99485-8526
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Save
Cookies user prefences
We use cookies to ensure you to get the best experience on our website. If you decline the use of cookies, this website may not function as expected.
Accept all
Decline all
Analytics
Tools used to analyze the data to measure the effectiveness of a website and to understand how it works.
Google Analytics
Accept
Decline