Corregedoria apoia e recomenda a utilização de aplicativo lançado pelo CNJ com o objetivo de ressocializar egressos do sistema prisional

Aplicativo Escritorio Social VirtualAplicativo "Escritório Social Virtual" foi lançado nesta semana e oferecerá acesso à qualificação profissional, orientação a cursos profissionalizantes, vagas de empregos e outros serviços.


A Corregedoria-Geral de Justiça do Amazonas representou, nesta semana, o Poder Judiciário Estadual na solenidade por meio da qual o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por videoconferência, lançou o aplicativo "Escritório Social Virtual". A ferramenta virtual é voltada para pessoas que cumpriram pena no sistema penitenciário brasileiro e oferecerá a elas, acesso à qualificação profissional, orientação a cursos profissionalizantes, vagas de empregos e outros serviços.

O aplicativo foi lançado em solenidade dirigida pelo presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), Ministro Luiz Fux, e marcou os cinco anos de implementação, pelo Conselho Nacional, dos Escritórios Sociais físicos.

Dirigentes do Poder Judiciário de todos os estados brasileiros acompanharam a solenidade de lançamento e o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) esteve representado, no evento online, pela Corregedoria-Geral de Justiça (CGJ/AM) na pessoa do juiz-corregedor auxiliar, Igor Leal Campagnolli.

Para o juiz Igor Campagnolli, a iniciativa do CNJ é de suma importância e contribuirá significativamente com a ressocialização daqueles que cumpriram suas penas. "Destacamos os cinco anos de implantação dos escritórios sociais físicos e, igualmente, destacamos o lançamento e a disponibilização do aplicativo, que do ponto de vista da ressocialização, pretende gerar oportunidades para que as pessoas possam ter um reinício no convívio social e tende a favorecer a redução dos casos de reincidência, uma vez que dentre as oportunidades que devem ser oferecidas, a ferramenta digital direcionará os egressos do sistema prisional para ofícios que eles já tinham ou que tenham assimilado", afirmou o juiz-corregedor auxiliar da CGJ/AM, Igor Leal Campagnolli.

O Escritório Social Virtual é resultado de parceria do CNJ com a Universidade de Brasília (UnB) e a Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF), por meio de acordo com o governo do Distrito Federal. A iniciativa está inserida no contexto da parceria em andamento desde 2019 entre o Conselho e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) para superação de desafios estruturais no campo da privação de liberdade, atualmente, o programa Fazendo Justiça.

O objetivo da ferramenta é contribuir para a ressocialização das pessoas que cumpriram pena no Sistema Penitenciário, por meio de orientação a cursos profissionalizantes, vagas de empregos e acompanhamento do tempo de cumprimento de pena. Tudo por meio digital, remoto e virtual, como tem sido feito boa parte do trabalho da Justiça em tempos de pandemia. O aplicativo oferece um passo a passo para as pessoas egressas do sistema prisional e suas famílias buscarem por serviços como emissão de documentos, acompanhamento da situação processual, espaços de moradia temporária, e de qualificação e encaminhamento profissional.

O aplicativo "Escritório Social Virtual" já está disponível para download em plataformas digitais.

 

Imagem: Internet (jurisbahia.com.br)

SETOR DE COMUNICAÇÃO SOCIAL
E-mailEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.


Imprimir   Email