selos_002A

Principal Sala de Imprensa Projeto Reeducar realiza primeira palestra do ano para público formado por pessoas em liberdade provisória

Projeto Reeducar realiza primeira palestra do ano para público formado por pessoas em liberdade provisória

Cerca de 200 reeducandos participaram da atividade, na manhã desta segunda-feira (4), no Fórum Ministro Henoch Reis.


46069093795_c16b31ff99_zA cerimônia de reabertura das atividades do Reeducar, na manhã desta segunda-feira (4), no Fórum Ministro Henoch Reis, contou com a presença da juíza titular da 11ª Vara Criminal e coordenadora do projeto, Eulinete Melo Silva Tribuzy, da juíza da 2ª Vara Especializada em Crimes de Uso e Tráfico de Entorpecentes (Vecute), Rosália Guimarães Sarmento, do defensor público Miguel Tinoco e dos representantes das instituições parceiras.

O Reeducar tem por objetivo contribuir com a reinserção social de pessoas em liberdade provisória e, assim, evitar que elas se tornem reincidentes, enquanto estão respondendo o processo. Durante a palestra desta segunda-feira, os reeducandos acompanharam o depoimento de Juliana Salles que, como eles, teve a oportunidade de responder ao processo em liberdade e foi encaminhada pelo juiz para participar das atividades do Projeto Reeducar. “Tenho 27 anos e tive oportunidade de mudar de vida, fiz dois cursos de capacitação pelo projeto e, hoje, vivo outra realidade por meio dos estudos e de um trabalho digno”, destacou a jovem.
O programa executado pelo Tribunal de Justiça do Amazonas conta com o apoio de entidades que oferecem treinamento e capacitação profissional, visando a recolocação de ex-detentos no mercado de trabalho.
De acordo com o representante do Sine Amazonas, Alisson Ferreira, o órgão destinará, por meio de uma parceria com empresários locais, vagas de trabalho a pessoas do projeto Reeducar. “O Sine Amazonas está abraçando essa causa e vamos oferecer um serviço de encaminhamento das pessoas que estão no Projeto Reeducar. Iremos direcioná-las a um emprego, dando oportunidade para que passem a trilhar um novo caminho. Vamos buscar parceria com empresários para que algumas vagas de emprego sejam destinadas ao Reeducar”, explicou o representante.

Idealizado e coordenado pela juíza Eulinete Tribuzy, titular da 11ª Vara Criminal do TJAM, o Reeducar já atendeu, desde sua implantação, em 2009, mais de 13.000 liberados provisórios. Só em 2018, foram 2.169 participantes das atividades, que incluem palestras, emissão de documentos como RG e carteira de trabalho, acompanhamento psicológico, encaminhamento para participação em cursos profissionalizantes, além de encaminhamento para o mercado de trabalho.

A juíza afirma ser importante que a sociedade compreenda a proposta do Reeducar, a fim de superar o preconceito existente contra pessoas que passaram pelo sistema prisional. “É necessário que se compreenda que ao dar oportunidade ao infrator, evitando que ele volte à prisão, teremos cidadãos melhores compondo a sociedade. A consequência desse apoio é a diminuição da criminalidade”, frisou a magistrada.

 

 

Deborah Azevedo

Foto: Chico Batata

DIVISÃO DE DIVULGAÇÃO E IMPRENSA
Telefones | TJAM: (92) 2129-6771 / 6831
Telefones | Corregedoria: (92) 2129-6672
Telefones | Fórum Henoch Reis: (92) 3303-5209

E-mail Imprimir PDF https://www.tjam.jus.br/index.php?option=com_content&view=article&id=11333:projeto-reeducar-realiza-primeira-palestra-do-ano-para-publico-formado-por-pessoas-em-liberdade-provisoria&catid=33:ct-destaque-noticias&Itemid=1331

 


appbtn-app-storebtn-google-play


 

Mais Notícias

Comunicados